domingo, 19 de setembro de 2010

Fragmentos de um poema inacabado

Os versos em uma poesia se unem de maneira espontânea,somos nós .
Quem sabe...?
Sou poeta,me prendo às sensações e elas libertam,me fazem um homem diferente.
Eu posso compartilhar minha liberdade?

Seus olhos são realmente doces,sua boca é rosada.
Ou  tudo é uma sensação poética que o seu rosto me trouxe a pensar?...
Pode ser que eu esteja começando meu processo criativo,
Pode ser  o meu imaginativo de mulher  observado ao calar da noite.

Mal a conheço...  pode ser uma loucura...
Algo passou e me fez pensar em um sonho bom.
Distante...
Sem perceber, esqueço ...
Parece-me a noite e com ela pareço descansado.

Nada disso mais se faz entender.
Hoje o seu abraço já não comporta o meu universo.
E todo verso já não se encontra,parece preso ao ar.
Livre dos pulmões... ele passa....
NADA irá preencher o seu lugar!

Admiro estático, o vento a soprar...
(Eber Vasconcelos)

Nenhum comentário:

Seguir por Email

Pesquisar este blog

Gostou? Leia mais ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...