terça-feira, 31 de agosto de 2010

Despertar,meus pensamentos em você

 Manhã,vejo o céu azul como pudesse adentrar ao infinito.
 Quando os dias eram nublados sempre quis que fosse quem me acompanhasse caso o céu se abrisse.
 Anjo que brilha sedução.

 Chamar amor e receber o sutil exagero de ver,mas ver sem enxergar.
 É possível,vi além dos seus gestos que já acariciam à distância.
 Falar de beleza acaba sendo tão óbvio!

 Existem mundos,existe lugar.
 Incógnita é sempre quando se pensa,distância incompreensível entre nós.
 Se soubesse responder...
 Se compreendesse que é meu mundo irresistível,luz....

Luz,como o sol que só existe tão lindo pra te aquecer .
Aquecer teu corpo de mulher delirando em tesão.

 Poderia... Sempre poderia.
 Só posso cogitar planos de nos tocarmos.
 Tocar sem antes lhe tocar.
 Difícil entender mas fácil desejar.
 O corpo é um detalhe,o delicioso é o prazer da alma,tocá-lo,sonho distante.
 Poderia,novamente,aproximar-me (mãos dadas,abraços,beijos...).Será que realmente conseguiria te tocar?

 Nada... nada é em vão,meu encontro marcado.
 O tempo passa,e não passa,vou te esperar em um lugar invisível com todo o amor que tenho ainda guardado.
 Talvez venha...
 E se vir,estarei esperando calado,mas sorrindo.
 Te amar,mesmo que sozinho,já tem sido minha vida.
 Obrigado,linda por você,agora quero uma vida ao seu lado.(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ouço,"me perco"

As melodias sempre nos levam à sensações alternativas,nos fazem ver novos planos.Sempre ao te escutar,escuto nada ao meu redor.O silêncio é meu quadro preferido,sua voz desenha nesse quadro a imagem da poesia.Me faz lembrar seu sorrir.
 Nada é normal ao te ouvir.A normalidade limitaria a sua existência desigual,pois és ascensão de qualquer sentido.Delimitar sua sensualidade acariciadora e envolvente é a definição mais infinita do indefinível.
 Atropelo-me ao revelar o oculto...
 A alma é como o brilhar da lua escondido por certa névoa.Incomoda-me lembrar de você e essa contradição que sempre provoca:entre paixão e senso de realidade.Você sempre é a ligação improvável entre sonho o meu sentido real de viver.
 O tempo talvez seja o abstrato que irá fazer se concretizar o movimento tênue entre nossa aproximação.Eu te quero minha razão delirante de amor.

(Eber Vasconcelos)

domingo, 15 de agosto de 2010

Desigual

Não precisa ser dito.
Compreensivo ao ponto de altruísmo;
Apreensivo sempre com um provável encontro;
Saudoso,quando há desencontro;
Prazeroso e contido feito a euforia do tímido.

Não precisa ser dito.
Ciumento em momentos em que gostaria de ser o único;
Preso ao convívio,ou não,sempre quer crescer em espaço,
Pesado livre-arbítrio de não poder O prender e conduzir.

Não precisa ser dito.
Sim ou não,ele está presente;
Respeita a escolha por mais que doa o que se sente,
Egoísmo é seu inverso;
Prefere ver o sorrir do que o realmente ter;
Incondicional feito de maturidade emocional;
Rico em afeições,
Por vezes até irritações.

Não precisa ser dito.
Toda palavra seria nada,
Todo verso,mal elaborado.
Agora não precisa ser dito,
Precisa ser aceito.
Aceitemos e compartilhemos o quanto possível, e esse tempo...
É de fazer com que aconteça.
(Eber Vasconcelos)

sábado, 14 de agosto de 2010

Renascimento

Parece cair chamas do céu,
Fogo por todo lado.
Agora queimam todo réu
Antes mesmo de ser condenado.

A visão é um tormento de retorções
De corpos carbonizados.
Ao chão,o lamento de multidões
Com seus gritos atordoados.

Depois desse caos tudo transformou-se
Em esperança.
Não há mais nada,só uma paz,
Uma segurança...

Em meio ao deserto de cinzas
Nascem árvores e seus frutos.
Renasce o mundo.
Revive tudo.

(Eber Vasconcelos)

sábado, 7 de agosto de 2010

Homenagem à amada


As tolices mancham a vida,
Principalmente as dela.
Mesmices marcham à subida,
Lembro dessa cadela.

Um poeta nem sempre tem de ser encantador.
Seu amor,sim,sempre é dos mais sublimes.
Uma mulher indiferente nem sabe,por menos ainda,merece tais " crimes " .

A idiota mesquinha e capitalista
Desconhece arte ou qualquer linha idealista.
Se fosse humana entenderia que não se constrói nada com objetos futuramente deteriorados.
Se fosse nobre ,e não esnobe,entenderia o subjetivo fundamento da união.

Ela se acha a única estrela,
Contudo meu olhar poético abriga
Uma constelação muito maior do que possa compreender.

(Eber Vasconcelos)

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Conheço Deus


Conheço Deus... Ele vaga leve e transfigurante
Em seu servos.
Ele condensa-se em matéria e se desfaz em energia.
Ele é rocha firme,moradia segura.Como luz que aquece o dia e traz o calor agradável da manhã.

Sim, O conheço... Está nos amanhãs de todos os séculos, no agora e nos ontens históricos.
Pode o tempo dobrar-se à Sua vontade,milhões de anos podem ser meteóricos.
A sombra no chão transfigura-se ao seu querer, pois o sol o faz reverência.
A noite lembro-me de seu nome e de suas maravilhas, a lua contempla com todo o seu brilho sua beleza.

A brisa, até mesmo ela, que às vezes desprezamos sinaliza sua benignidade.
Sinto o toque de Deus no frescor de cada dia renovante.
Ao respirar tua fé... de medíocre torno-me gigante.

Os pássaros louvam o seu criador e tornam suave o som aos ouvidos.
Louvado seja Deus!
Louvemos a Deus desde as mais variadas formas de artes,poesias ou cânticos!

(Eber Vasconcelos)

Seguir por Email

Pesquisar este blog

Gostou? Leia mais ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...