segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Teu toque,meu pecado



Hoje eu nem quero saber , quero morder essa sua boca .
Acariciar esse corpo , tocar em seus sentidos , lhe fazer delirar .
Hoje eu quero seu pecado , amanhã me confessar .


Por que olhas desse jeito ? Querendo mostrar desejo ?
Quer me fazer refém , quer me maltratar .
No dia que te toco , te tenho , te tenho , te amasso na parede , depois nem vejo ...
Já sou seu e você é minha .


Já nem preciso de mim quando tenho você .
Mas tendo você parece que me perco em mim .
Talvez seja mais nova , um ano só ...
Mas , quando é mulher ... é a melhor .


Escrevo pensando em nosso momento juntos ,
Momento que de tão juntos e permissivos , sorrimos prazeres .
Eu quero essa hora desse conjunto de tempos inconfessáveis .
Quero os prazeres do seu corpo , da tua vida , que me fizestes ver como amáveis .


(Eber Vasconcelos)

domingo, 19 de dezembro de 2010

Retrocesso

Retrocesso escrito em quarta 19 maio 2010 15:04



É tão difícil se entregar...
O medo do desconhecido.
 Então há o retrocesso,
E a alma mais uma vez está só.

O caminho longo não me
Deixa vê-lo, mas a
Esperança me faz seguir,
Ir em frente.

Posso ver além da
Redoma de vidro, mas
Não posso quebrá-la.
Então há o retrocesso.

Você agora também se sente só.

Sabemos bem lá no fundo
O que buscamos, só não
Sabemos como, então
Novamente o retrocesso.

vixl/2010

domingo, 12 de dezembro de 2010

Chão de gelo fino



 A caminhar sobre gelo fino tentava entender esse chão gelado que me tocava aos pés.Vi abaixo do gelo outro homem sufocado tentando sair,batendo no gelo com tal força,me encarando de uma forma assustadora e confusa.

 Sabe,meus pés estavam em carne viva de vermelhos,descalços naquela imensidão gelada.Tentei abaixar -me e ajudar o outro homem,o via sendo sufocado por águas gélidas.Se desse pra ver bem sua cor através daquele gelo saberia que era mais branca que o normal.


 Bati meus pés forte no chão,rachaduras e estalos...


 Quando me vi estava acordando e  agora quem estava abaixo do gelo era eu.E... quando tentava nadar ao alto e quebrar o gelo pra me salvar vejo outro homem lá em cima observando da mesma forma incógnita a minha aflição.


 Mesmo sem o discernimento adequado,devido a águas que já invadiam o cérebro,percebi que era eu o tempo todo aquele homem que queria salvar.Contudo o curioso,o mais curioso... é que o homem acima do gelo estava em paz,e o que estava abaixo em estado de aflição.Então é isso... O gelo é a divisão entre esses dois mundos,aflição e paz. E caminho entre esses mundos: A paz tentando me salvar da aflição,e a aflição tentando me prender abaixo do gelo,me tirando a paz.


(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Espinhos


Dia de desgosto,fúria!

Escrevo aqui como se pudesse esmurrar qualquer injúria.

Nasci com um destino,

Desde menino alçava o céu.



Não admito que me olhe!

Não admito que fale sobre mim!

Porque eu sou o bem que você jamais viu,

Sou o homem que você jamais ouviu falar.



Hoje sinto ódio

Como se a cabeça doesse.

Como se fechasse algo ruim por dentro.

O raciocínio fica lento...

Quero só destruir...



Parece,a destruição,um remédio.

Um remédio com seus efeitos colaterais.

Você viu Deus passar?

Viu Seus passos acompanharem aos meus?

Provavelmente não...

Me perdi desse caminho.



Fiz do amor minha rosa,amei.

Senti o cheiro da mulher que seria pra vida inteira à distância,chorei.

Chorei sua beleza intocável.

E o que me sobrou foram espinhos.

E os espinhos da carne... hoje corrompem a alma.



Deus abençoe,livre e guarde...



(Eber Vasconcelos)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Abrigo da noite


 Uma casa estava vazia,escura,com alguns pontos somente de luz, haviam ecos que iam e viam do nada . Da janela a luz entrava parecendo contemplar o corpo que chora sua beleza em um canto .O canto era só...entoado . Uma mulher soluçando deitada,uma angústia sem carinhos,um corpo em rosas e espinhos.
 Ninguém entrava naquele lugar,era abandonado por sabe se quem,mas alguém quis morar nesse lugar e viver sua paixão nua. A casa  recolhia todos os dias dessa mulher . Ela,abraçada ao desejo,não compartilha sua vontade de perder-se.
 Um dia fui visitá-la com meus poemas rimados,com minhas vontades,com meus sorrisos,com meus carinhos,com meus desejos... Ela me recebeu coberta por um lençol de seda,ela chorou seu passado em meus ombros,ela me amou por toda noite sem saber quem eu era.
 O dia nasceu... Fui embora pensando nela,fui embora e o dia nunca mais voltou...
(Eber Vasconcelos)

domingo, 28 de novembro de 2010

Sentidos


Atração,flerte.
Percebe-se a beleza,
Desejos...
(Percepção).


Desejos... 
Inspiram imaginação:lábios tocando-se,
Verdade que se busca ter.
(Toques ... )


Voz, idealizações de corpos sussurrando amores.
Ouvir o que se quer,dizer o que se quer.
(Ser amores).


Cheiro,perfume dos frascos delicados das mulheres.
(Sentir mulheres).


Pensar... (idealização).
(Eber Vasconcelos)

Amor e paixão , segundo Thiago Brum

Qual a diferença entre a paixão e o amor?
Fácil. A paixão é algo que dá e passa. É a vontade enlouquecida de dois corpos se unirem numa sinfonia perfeita, quase que transformando-se em apenas um.
A paixão é humana, é carnal, e, assim como o homem, uma hora ela morre.
No amor existe esse desejo enlouquecedor também, mas não é o mais importante. O que importa é a simples companhia, a amizade sincera, o respeito. O amor é divino, e é, ao contrário do que dizem, o sentimento mais fácil de explicar.

O amor...
é chama que nunca se apaga...
é fonte que nunca seca...
é o perfume mais doce e menos enjoativo...
é o filme mais emocionante...
é a música perfeita aos ouvidos...
é uma doença sem cura e mortal...
e só quem ama sabe explicar...

Sabe como eu sei disso?

é que a chama eterna sempre ilumina sua face...
e dessa fonte eu sempre quero beber...
sempre que fecho meus olhos sinto seu cheiro...
e em minha cabeça passa o filme da nossa história...
quando vou dormir escuto sua voz cantando suavemente...
e eu não consigo me curar disso e...neste momento...eu morreria por você

Como disse, fácil de explicar...o difícil é entender o porque que eu amo você!

sábado, 20 de novembro de 2010

Inocência,pecado e perigo

Sobre as nuvens a vi se instalar,
O paraíso...
Lá onde dificilmente alguém chega ou chegará.
O milagre da paixão me fez despertar.

Suas asas escondem seu corpo, perfeição.
Ele é fruto de qualquer tentação.
Delicado e envolvente traz a qualquer
Inocente a vontade de pecar.

Esse olhar doce mostra os seus desejos
Os quais almejo em mim estar.
Você pode se prender,
e ao mesmo tempo se libertar.

Expressões faciais e corporais lindas
Causam impressões de mais desejo.
As formas confundem-se a luxúria.
Em meus pensamentos?São as sensações mais provocantes.

Ela nua: inocência, pecado e perigo.
(Eber Vasconcelos)

sábado, 13 de novembro de 2010

Solidão e precipício


À beira do precipício de repente bate uma brisa,o chão atrai.
Tudo circulando à mente,todos os seus sorrisos e todos... que não voltam,não voltam!
A besteira do início de repente vira a justificação pro final,o chão atrai.
Tudo circulando à mente,todos os choros e todos... que não vão,não vão!

Deseja-se tanto ser apaixonado quanto antes,início.
Deseja-se tanto conhecer alguém e se interessar por alguém,início.
Saber que a paixão não é o que antes parecia,fim.
Saber que quanto mais se conhece menos se tem de alguém,além de sua indiferença,fim.

Tantas paixões se pode ter quando se é jovem e vivo...
Grandes decepções matam a esperança.
Ver o irreal,ser real,e tentar ter o irreal simplesmente cansa.
Continue vivo...

Viva e ame a solidão.
E nas vezes que ela te incomodar,
Caminhe pelas ruas abraçado à ela,
Respire fundo...
Sorria,a solidão é a mulher dos idealistas.

A perfeição que procuras,é a solidão.
Ela está com você,seja em dias tristes,seja em dias alegres.
É tão bom gostar da solidão...
E saber que ela é a única que te pede abrigo do frio.
Ame a solidão,esse é o princípio...
Quando amares,estarás apto a voar do precipício.

(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Céu Azul



Existem linhas sutis que aproximam as pessoas.
Você passou por minha vida,
Trouxe nova visão ao meu horizonte.

O jeito carinhoso com que trata a todos que te amam,sim,menina,é cativante.
Amam,pois resplandece luz com sua simpatia.
Sempre seu abraço é a melhor da alegria.

Sensível,parece com a arte poética de amar.
Acho em você a sensibilidade.
E sensibilidade é o livre amar.

Não se importe,ao caso de eu parecer distante.
Sou poeta,seu amigo,nunca encontrei liberdade semelhante.

Você é o inverso de toda poesia triste,
Parece um amanhecer de verão.
O sol aquece as flores belas desabrochando cores e beleza ao chão,
Traz alma essa imagem...
É o seu retrato num dia de céu azul,sua paisagem refletida no amor da natureza.

(Eber Vasconcelos) dedicatório: Clara          

Estrangeiros dos mesmos olhares

Nossos olhares nunca mais se entenderam
Como nos tempos que antes
De qualquer fala haviam sorrisos apaixonantes.

Hoje sou decepcionado como ontem.
Ontem era tudo beleza,paixão que no entanto eram inalcançáveis.
Hoje o que é alcançável nada tem a ver com paixão,
A beleza parece-me um gosto ultrapassado.

O que é isso então?
Que incômodo habita entre nossos olhos?
Nem sei quem és atualmente
Ou nem sei quem sou.

Acho que somos dois desconhecidos nos reencontrando.
(Eber Vasconcelos)

Homens,macacos e um anjo

A tarde era um calor estranho,daqueles que lhe deixa tonto.O suor nos rostos,uns avermelhados outros nem tanto,mas todos eles,os rostos,contemplando um espetáculo:"Homens,macacos e um anjo".O "espetáculo" era só uma forma tola de se definir essa obra teatral pobre.
Comecemos assim: Cenário empoeirado,velho,onde vários outros "espetáculos" aconteceram,vamos chamar isso de "mundo".Tanto as peças teatrais mais bem humoradas,passando pelas drásticas,clássicas,e tantas outras se passaram nesse mesmo lugar.E nenhuma delas fez brilhar esse teatro chamado "A arte".
Iluminação é daquelas que traz dores de cabeça intermináveis.Todos ficavam lacrimosos não importando qual fosse o gênero,se terror,se romance ou comédia.A luz ao excesso incomoda,ninguém diz aos responsáveis pela iluminação que "A arte" precisa ter sua luz devidamente regulada para que os espectadores vejam e reconheçam o que vêem?
Os personagens eram: um autor vagabundo,uma anarquista revoltada,um religioso de "folga",um poeta,um diretor desorientado e uma prostituta.
Falemos pouco sobre essa peça...
Os homens viviam em jaulas de ouro que de tão puro achava-se que era "divino".Eles eram: o religioso,que prometia o céu; a prostituta,que prometia o inferno; e anarquista,que prometia liberdade de céu e inferno.Todos enjaulados pelo divino.Todos presos à suas ideias,todos presos aos seus "paraísos".
Os macacos eram "interpretados" por um autor vagabundo,escrevia peças fazendo recortes de notícias de jornal e um diretor desorientado que atropelava começo,meio e fim nas cenas.Eram macacos...animais em plena liberdade,pois ao contrário dos homens não sabiam o que era céu ou inferno.No caso do autor,ele recortava a realidade,como conhecê-la por inteiro? O diretor desorientado nunca soube o que era ordem,por que ele iria querer liberdade?
O anjo era um poeta tão distante que chegava a ser solitário.Ele era um pouco,ou muito,de todos esses personagens anteriores.As influências deles tendiam ora para o animal instintivo,ora para o homem racional.Mas ele não vivia no "mundo",vivia no paraíso.
Nem começo,nem meio,nem fim.A peça foi uma confusão.O mundo era dos macacos,a jaula dos homens e o paraíso do poeta.O inferno era quando as luzes se apagavam,todos espectadores pensavam: -Amanhã tudo outra vez.(Eber Vasconcelos)

sábado, 30 de outubro de 2010

Questões antigas e novas respostas

Quantas vezes o sol aparece e se vai?
Quantas vezes as declarações de amor estão só na mente?
Quantas vezes o grito calado não é ouvido?
Quantas vezes a companhia é solitária?
Quantas vezes a sua primavera não se mostra pra mim?

Muitas vezes...
Tantas,essas,que o fim chegou antes do começo.
E o sol de hoje brilha,não seu sol,mas brilha,sem a sua luz,brilha...
Hoje todas as suas declarações são de outras,enfim elas foram parar em algum lugar,é...
Enfim alguém sentiu prazer ao conhecê-las.
Aonde estiver sou ouvido antes de falar, e tudo o que digo causa arrepios em uma mulher diferente de você.Ao menos ela finge ouvir...

A companhia dela aquece,conforta...
Isso não é tudo!Ela não consegue acompanhar o vazio da alma que só você preencheria.Ao menos ela finge preencher...

Ela sempre é primavera.Sempre dispõe as melhores flores aos meus olhos.Hoje sou tão outono que não consigo compreender essa bela imagem.

Dessa vez...
Vou terminar do princípio.
Algo me instrue a saltar do precipício e voar pra esquecer.

(Eber Vasconcelos)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Caleidoscópio


Era um dia agitado,
Era um pesadelo mal-tratado.
Traumas irreconhecíveis,
Uma criança chorando e suas lágrimas invisíveis.

Sabe-se que um indivíduo se vê como vários.
Existem vários espelhos em sua volta,
E cada espelho reflete uma imagem diferente.

Sabe-se que esse mesmo homem tem múltiplos diários.
Existem múltiplas histórias pra diferentes dias que surgem em sua volta,
E cada dia desdobra-se em vários dias diferentes entre si.

Parece ser sensível e frio,calmo e revoltado,simpático e anti-social,romântico e racional...
Não sei,acho que é isso e muito mais.
Mas talvez seja somente um medo de ser o "quem é" por simples opressão social.
Ou,ainda não sei,por falta de controle sobre sua mente desdobrada em muitos ângulos.

É tudo confuso,alucinógeno...
Aparecem imagens,sempre imagens,embaçando o real.
Ele ama,ama tanto e de repente já não sabe o que é.
Esse anjo falso que aparece sorrindo em sua frente o engana.

Descobriu-se que de um choro do passado surge um homem múltiplo.
Era um dia agitado...
Um pesadelo maltratado.
(Eber Vasconcelos)

sábado, 16 de outubro de 2010

Verdadeiro Amor


Quero um beijo certo,
Algo que me desperte
O calor,
A ternura.

Quero o abraço quente,
Um caminho que indique para onde devo ir,
Liberdade,
Desejo.

Quero sentir o toque suave,
O abraço forte,
O delicioso sabor.
À procura,
À espera,
A chegada de um perfeito amor.
(Lisandra Félix P.)

A dois

Sentir o teu toque,
Délirios.
Pensar em você,
Prazer.
Te desejar só para mim,
cobiça.
O teu beijo,
veneno.
O teu corpo inteiro,
A cura.
Seguir teus passos,
Me perder,
Deixar que você me leve para onde quer que seja.
Caminho proibido,
Nossa paixão.
Mistérios,
Nossos segredos.
Crimes,
Nós dois sozinhos.
Secreto,
Teu choro,
meu desespero.
Você,
Minha lucidez.
Um corpo só,
nós dois juntos.

(Lisandra félix)
XD

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A vida é sombra profusa.


Em um olhar ,o único lugar aonde há luz e morte.

A morte é luz para uma mente confusa.

Em um sorriso, deleitar de perdição e sorte.

A perdição faz o sentido racional ser bobagem

Quando, deixar-se dominar por ela é queimar-se em chamas.

A sorte ativa a alma constrangida por tristezas, perdidas em desesperos que clama.



A morte dos olhos dopados

De remédios contra tédios inconsolados

É essa de não encontrar seu sopro de vida.

Sua paixão consumida e explorada

Por vagos momentos reflete em um sorriso à encontrar

Caminhos por onde os passos são leves e gelados.

Nas neves do espaço do existir, afundam-se os pés tentar se conhecer

E o corpo todo enterrado em estado de hipotermia, a fenecer.



Sombras dominam, deixe-se calar.

Sua voz pode seu rosto iluminar

E lhe apresentar à morte.

O beijo da noite às vezes chega mais cedo,

Junto com o açoite da vida o medo.



(Eber Vasconcelos)

Feliz dia das crianças


O tempo é algo tão estranho,molda nosso olhar.
 Passamos a ver tudo tão diferente de quando estávamos a uns dois ou dez anos antes.
Tenho saudade de quando era aquele cara legal com esperança no olhar,uma criança.Gosto tanto da criança que meus olhos escondem,gosto tanto da infância perdida.Amo tanto que me sinto mal por ter crescido e visto tudo se esvaziar.Esvaziar e transformar toda a inocência em nada,em um tédio profundo de buscar o que não se sabe,um mundo de auto-satisfações desorientadas.(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Desconexo

Os olhos são assim mesmo?
Uma passagem pra outro mundo?
Uma sensação boa... um tremor interno de mistério e desvendamento é o que eles causam e são.
Imagine um pensamento fixado ao outro...e ainda,o saciar das almas...

Permita se conhecer melhor,
Mostre seu melhor e tente compartilhar.
Abrace quando sentir frio,
Sussurre o que precisa ouvir do amor.
Olhe a que queira enxergar para
Poder enxergar o que ser quer.

Momento bom é aquele que lhe faz esquecer algo difícil que não lhe sai da memória.
O som da chuva a decair ao chão,por exemplo.
Sabe,abrigue-se da chuva e ouça o seu som arrastado e chiado.
É vago ... vago...
Como o  tempo,se arrasta quase silencioso.
(Eber Vasconcelos)

sábado, 25 de setembro de 2010

Falta de interesse


Perdi o gosto de escrever,
o gosto de ler,
o gosto de ser.

Nada me completa e
Não sou completo em nada.

Só a mágoa está devidamente evoluida,
De restante... Só uma alma recolhida.

De tantos projetos inacabados,
(O motivo pode ser desânimo ou desinteresse)
Restou-me o vazio de sempre buscar.

Estar é mais fácil que ser.
Mas o quanto é complicado estar sem ser...

Uns dizem "estar" porque têm um propósito a cumprir,
mas,a propósito, somos conscientes dele?
Ele faz ser quem somos, ou a busca de o encontrar é o que nos molda a ser quem somos?

Ser sem estar, vagar por mundos alternativos,
Viver sem ser nativo de nenhum lugar.
Fazer-se  nômade sem lar.

Assim como comecei... terminarei.
Concluindo a falta de sabor de minha vida.
Consciente das várias iguarias que poderia provar.
Porém, fico nisso, feijão com arroz, comendo a simples monotonia.
E deixando os sabores irreverentes pra quem tem coragem de enfrentar todas as suas digestões inusitadas.

(Eber Vasconcelos)

domingo, 19 de setembro de 2010

Fragmentos de um poema inacabado

Os versos em uma poesia se unem de maneira espontânea,somos nós .
Quem sabe...?
Sou poeta,me prendo às sensações e elas libertam,me fazem um homem diferente.
Eu posso compartilhar minha liberdade?

Seus olhos são realmente doces,sua boca é rosada.
Ou  tudo é uma sensação poética que o seu rosto me trouxe a pensar?...
Pode ser que eu esteja começando meu processo criativo,
Pode ser  o meu imaginativo de mulher  observado ao calar da noite.

Mal a conheço...  pode ser uma loucura...
Algo passou e me fez pensar em um sonho bom.
Distante...
Sem perceber, esqueço ...
Parece-me a noite e com ela pareço descansado.

Nada disso mais se faz entender.
Hoje o seu abraço já não comporta o meu universo.
E todo verso já não se encontra,parece preso ao ar.
Livre dos pulmões... ele passa....
NADA irá preencher o seu lugar!

Admiro estático, o vento a soprar...
(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Parasita de almas

Ele é um verme parasita que se instalou
 Em seu cérebro e ficou.
 Se alimenta de suas fantasias, sonhos e de toda sua energia vital.
 Não adianta tentar se livrar dele,prendeu-se a sua coluna vertebral.

 E quando te avistou, sabia que você era o nascimento de tudo que lhe faltava.
 Era toda criação de seu pensamento que se concretizava.
 Toda essa energia positiva ele está sugando com suas presas gosmentas
 E salivantes.

 Sua alma é medíocre, por isso necessita te explorar.
 E o que você tem de bom, nunca irá recuperar.
 Por mais que lute ele não vai te deixar.

 Quando se apoderou de sua vida, era tudo tão divertido.
 Você sorria, falava mansamente e usava vestido.
 Mas você já não suporta essa dor,
 Esse é ele corroendo sua mente...

(Eber Vasconcelos)

sábado, 4 de setembro de 2010

Juízo perfeito

As atitudes nascem do pensamento,queira você ou não.Você acha que tem juízo perfeito,por que suas ações não fazem juz a tal superioridade?Esses sábios da modernidade...vivem "sabendo" o que fazem,uma sabedoria um tanto quanto torta,pois não mudam nada!Eu admito não ser sábio,nem são,eu caminho pela vida tateando o chão com medos e muita coragem pra seguir em frente,sem certezas.Essa manhã está radiante, o sol brilha ao meu olhar,vou viver sem juízo perfeito mais sempre querendo amar o próximo momento sem mesmo ter certeza de qual será.
(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Despertar,meus pensamentos em você

 Manhã,vejo o céu azul como pudesse adentrar ao infinito.
 Quando os dias eram nublados sempre quis que fosse quem me acompanhasse caso o céu se abrisse.
 Anjo que brilha sedução.

 Chamar amor e receber o sutil exagero de ver,mas ver sem enxergar.
 É possível,vi além dos seus gestos que já acariciam à distância.
 Falar de beleza acaba sendo tão óbvio!

 Existem mundos,existe lugar.
 Incógnita é sempre quando se pensa,distância incompreensível entre nós.
 Se soubesse responder...
 Se compreendesse que é meu mundo irresistível,luz....

Luz,como o sol que só existe tão lindo pra te aquecer .
Aquecer teu corpo de mulher delirando em tesão.

 Poderia... Sempre poderia.
 Só posso cogitar planos de nos tocarmos.
 Tocar sem antes lhe tocar.
 Difícil entender mas fácil desejar.
 O corpo é um detalhe,o delicioso é o prazer da alma,tocá-lo,sonho distante.
 Poderia,novamente,aproximar-me (mãos dadas,abraços,beijos...).Será que realmente conseguiria te tocar?

 Nada... nada é em vão,meu encontro marcado.
 O tempo passa,e não passa,vou te esperar em um lugar invisível com todo o amor que tenho ainda guardado.
 Talvez venha...
 E se vir,estarei esperando calado,mas sorrindo.
 Te amar,mesmo que sozinho,já tem sido minha vida.
 Obrigado,linda por você,agora quero uma vida ao seu lado.(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ouço,"me perco"

As melodias sempre nos levam à sensações alternativas,nos fazem ver novos planos.Sempre ao te escutar,escuto nada ao meu redor.O silêncio é meu quadro preferido,sua voz desenha nesse quadro a imagem da poesia.Me faz lembrar seu sorrir.
 Nada é normal ao te ouvir.A normalidade limitaria a sua existência desigual,pois és ascensão de qualquer sentido.Delimitar sua sensualidade acariciadora e envolvente é a definição mais infinita do indefinível.
 Atropelo-me ao revelar o oculto...
 A alma é como o brilhar da lua escondido por certa névoa.Incomoda-me lembrar de você e essa contradição que sempre provoca:entre paixão e senso de realidade.Você sempre é a ligação improvável entre sonho o meu sentido real de viver.
 O tempo talvez seja o abstrato que irá fazer se concretizar o movimento tênue entre nossa aproximação.Eu te quero minha razão delirante de amor.

(Eber Vasconcelos)

domingo, 15 de agosto de 2010

Desigual

Não precisa ser dito.
Compreensivo ao ponto de altruísmo;
Apreensivo sempre com um provável encontro;
Saudoso,quando há desencontro;
Prazeroso e contido feito a euforia do tímido.

Não precisa ser dito.
Ciumento em momentos em que gostaria de ser o único;
Preso ao convívio,ou não,sempre quer crescer em espaço,
Pesado livre-arbítrio de não poder O prender e conduzir.

Não precisa ser dito.
Sim ou não,ele está presente;
Respeita a escolha por mais que doa o que se sente,
Egoísmo é seu inverso;
Prefere ver o sorrir do que o realmente ter;
Incondicional feito de maturidade emocional;
Rico em afeições,
Por vezes até irritações.

Não precisa ser dito.
Toda palavra seria nada,
Todo verso,mal elaborado.
Agora não precisa ser dito,
Precisa ser aceito.
Aceitemos e compartilhemos o quanto possível, e esse tempo...
É de fazer com que aconteça.
(Eber Vasconcelos)

sábado, 14 de agosto de 2010

Renascimento

Parece cair chamas do céu,
Fogo por todo lado.
Agora queimam todo réu
Antes mesmo de ser condenado.

A visão é um tormento de retorções
De corpos carbonizados.
Ao chão,o lamento de multidões
Com seus gritos atordoados.

Depois desse caos tudo transformou-se
Em esperança.
Não há mais nada,só uma paz,
Uma segurança...

Em meio ao deserto de cinzas
Nascem árvores e seus frutos.
Renasce o mundo.
Revive tudo.

(Eber Vasconcelos)

sábado, 7 de agosto de 2010

Homenagem à amada


As tolices mancham a vida,
Principalmente as dela.
Mesmices marcham à subida,
Lembro dessa cadela.

Um poeta nem sempre tem de ser encantador.
Seu amor,sim,sempre é dos mais sublimes.
Uma mulher indiferente nem sabe,por menos ainda,merece tais " crimes " .

A idiota mesquinha e capitalista
Desconhece arte ou qualquer linha idealista.
Se fosse humana entenderia que não se constrói nada com objetos futuramente deteriorados.
Se fosse nobre ,e não esnobe,entenderia o subjetivo fundamento da união.

Ela se acha a única estrela,
Contudo meu olhar poético abriga
Uma constelação muito maior do que possa compreender.

(Eber Vasconcelos)

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Conheço Deus


Conheço Deus... Ele vaga leve e transfigurante
Em seu servos.
Ele condensa-se em matéria e se desfaz em energia.
Ele é rocha firme,moradia segura.Como luz que aquece o dia e traz o calor agradável da manhã.

Sim, O conheço... Está nos amanhãs de todos os séculos, no agora e nos ontens históricos.
Pode o tempo dobrar-se à Sua vontade,milhões de anos podem ser meteóricos.
A sombra no chão transfigura-se ao seu querer, pois o sol o faz reverência.
A noite lembro-me de seu nome e de suas maravilhas, a lua contempla com todo o seu brilho sua beleza.

A brisa, até mesmo ela, que às vezes desprezamos sinaliza sua benignidade.
Sinto o toque de Deus no frescor de cada dia renovante.
Ao respirar tua fé... de medíocre torno-me gigante.

Os pássaros louvam o seu criador e tornam suave o som aos ouvidos.
Louvado seja Deus!
Louvemos a Deus desde as mais variadas formas de artes,poesias ou cânticos!

(Eber Vasconcelos)

sábado, 31 de julho de 2010

Febre

Corpo ardendo de frio,suor,arrepio.
Deitado em um leito,
Mas voando.
Cansado,descansando.

Delírios doces de realidade amarga,
Seus olhos doces fitando aos meus doentios.
Sempre você!És anjo que conforta na quase-vida.

Dor de cabeça,cansaço de te ver tão irreal.
Vertigem,todos os meus sonhos ao seu lado,
Vestígio do seu corpo acalorado,de...

Não sofras por mim.
Sua pena pode me condenar à Fraqueza.
Olhe somente...

Talvez nos encontremos depois de tudo passado.
E seja nós a cura pra doença,razão
Pra ser curado.

Vislumbre a nós...

(Eber Vasconcelos)

sábado, 24 de julho de 2010

Anjo Triste


Um anjo chora lágrimas de sangue,me olha toda noite . Ele se compadece do soturno homem . Tenta falar...Porém já não acredito na palavra nem de anjos.
 Nem sei se realmente existo ou sou qualquer tipo de personagem criado por mim mesmo.Sou um pouco fingido ,pela maldade inocente de enganar-me constantemente.
 Nascemos com sofrimento,perda e separação.Daí crescemos inconscientes,buscando exatamente conforto,morada e a união que nos abandonou antes sequer de termos noções pra defini-las.
 A paixão que tive por minha amiga sempre foi irreal,confesso . À mim ela sempre foi um anjo irreal que poderia me salvar e curar do meu olhar triste.
 Vejo sempre algo impossível aos meus toques,fui dotado com uma visão sublime e com um tato normal. Por consequência conheço o rosto de um anjo que me admira a chorar,contudo não posso afagá-lo ou  secar suas lágrimas. Sou um homem com olhar irreal e corpo real.
 Gostaria de unir-me a uma espécie de energia cósmica e atuar em todas as partes do universo,queria estar nos brilhos das estrelas . Não queria ter consciência da existência do abstrato,queria o ser . Chegará o momento em que defrontarei comigo e encarando realmente quem sou,admirarei-me e sorrirei em paz.
(Eber Vasconcelos)

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Perigo delicioso

Cheia de charme me convida a te achar.
Te vejo mordendo seus lábios vermelhos,
Depois dizendo,vem me amar.
Buscarmos-nos seria um perigo delicioso que
Acompanharia nossos dias quentes.

Mistério,nosso futuro.
Desejo cada vez mais atrativo,cada vez mais ardente.
Te quero sério,meu motivo
De fuga e "tudo mais".

O que tu irás fazer quando te encarar?
Te demonstrar todas as poesias através de um único beijo.
Foste tu quem me provacaste com seu jeito temperado e moreno.
Tudo irá ser apreensivo e ameno...


És deliciar de sensações,
És o verão dentre as estações.
Hoje pode ser cinza e chuvoso,
Amanhã pode ter suas cores,
Nossos abraços,o céu azul,
Nossos beijos acalorados,
Nossos amores.


(Eber Vasconcelos)

sábado, 17 de julho de 2010

Suspiros,arrepios e travessuras

Desperte a conquista neste dia frio.
Toque a seus desejos e sinta o arrepio,
Suspire e ouça suspirar.
Nas travessuras de seu atos,
O som aos ouvidos deixe sussurrar.

Resista, faça charme... mas se deixe levar.
É segredo esse encontro,
Às escondidas de qualquer olhar.
Mistério do nosso prazer
É conhecermos as vontades loucas de se saciar.

No início, surpresa,paralisação e querer.
Depois, realização e transpiração.
Línguas se tocam,
Deixe o deleitar da união te alcançar .
Que vale o momento à sós, senão se encontrar?

(Eber Vasconcelos)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Mais que isso(Autora:Lisandra Félix P.


O sentimento verdadeiro
Não precisa ser falado
Seja ele qual for.
Talvez, muitas vezes
Deva ser até guardado.
E quando se chega a hora certa,
Parece que por vontade própria
Ele é explosivamente expressado.

E que se calem
As palavras comuns,
Promessas fáceis,
Olhares não sinceros,
Corações sem sentimento algum.
Pois o sentimento verdadeiro
É mais do que os olhos podem ver,
É mais do que palavras podem dizer,
É mais do que a razão diz ser.
E sim, uma imensidade de olhares profundos
De ternura,
De apreensão,
De desculpas,
Constrangimentos até.
E acima de tudo,
De desejo,
De verdade,
De coragem.
Talvez seja até mais que isso,
Uma infinidade de embaraços
Daquilo que se possa imaginar e acreditar.
(Lisandra Félix P.)

sábado, 10 de julho de 2010

Momento

Posto-me a solidão fria por alguns instantes,
Ela é uma dor doce que me acompanha.
A cabeça dói,isso é verdade.
Tenho vontade de ficar parado nessas horas tristes.

Oh,a solidão sempre foi minha amante.
As vozes que escuto estão sempre distantes.
Quero essa paz torturante dessa hora morta.
Quero morrer nesse momento só.
Pois a ausência do mundo
Seria meu conforto de paraíso,
Seria meu sorriso amargo.

(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 6 de julho de 2010

Flagelo


Lâmina corta a carne,
Cheiro de carnificina.
O fungo apodrece a carne,
Cheiro de carniça.
O fogo queima a carne,
Cheiro de enxofre.
Ode ao equilíbrio e paz,
Por que essa carne sofre?

Frio congela a carne,
Deixa-a empetrificada.
A carne é bela,
Singela vítima de suas próprias ações desnorteadas.
Vive em celas, essas carnes...
Sem saber qual a próxima vela a ser acesa.
Por que não somos livres?

Essa carne chora,
Em momentos não raros implora
Por misericórdia e superação.
Mas o que se vê sempre é intolerância e auto-destruição.
O livre arbítrio é o mal de existir?

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Sereno

Distante... num momento tão distante,
Estávamos a sorrir um ao outro.
Olhávamos,os dois,ao mesmo olhar.
Ante meus olhos estavam os meus olhares,meus, pois acolhiam meu vazio.

Poeiras de água desciam do céu
Formando uma forma mais leve que a fumaça.
Toquei em suas mãos,eram quentes, eram...

Eu,tão nervoso quanto apacificado,
Sentia as mãos frias(minhas) tremendo.
Ficamos,com nossos lábios incessantes
E línguas se tocavam,nos beijávamos.

Nosso beijo,nosso sonho particular.
Distante... ontem,hoje e amanhã.
O saciar em um instante.

(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Minhas lágrimas e sua alma (autora:Lis)


Tudo passa.Menos meu amor e ódio por você,
Pois não me quis.
Me rejeitou,não olha mais para mim.
É por isso que te odeio.
E quando você acordar
Irá me ver te carregando junto para minha solidão,
Você estará condenado por toda morte
A ficar comigo sendo o meu servo.
Pois foi você que fez o meu mundo parar
Te encontrar e me perder nesse lugar irreal.
Agora é você quem sofrerá por minha dor.
E quando abrir os olhos, a janela do seu quarto estará aberta,
Estarei segurando sua mão.
Puxarei sua alma,
E você viverá comigo eternamente.
Farei isso sem compaixão,
Pois você não se lembrou que eu te amava.
Agora sua alma estará em seus piores pesadelos,
Minhas lágrimas iram escorrer sobre tua alma.
E você irá sofrer por minha dor e por minhas lágrimas que ainda não secaram.

 (Lisandra Félix P.)

sábado, 26 de junho de 2010

O controle das sensações

As sensações recebidas parecem ser falsas,
Fluem,mas nunca descansam em nenhuma das concepções mundanas.
Pensa sim e depois não, o que é real torna-se ilusão.
A razão da sobrevivência ensina a desprezar o que lhe traz sofrimento.

O envolvimento brusco com todas as manifestações da alma:
A calma confortante ou o perigo dos nervos à flor da pele?
Não se prenda às emoções.Com isso,estará protegido e vegetando na vida.
Ou tenha coragem para enfrentar as mais temíveis aflições para alcançar paz interior.

A tentação do conformismo, como nos encanta!
Chega uma hora em que cansa lutar contra cinismo e desesperança.
Conforme as circunstâncias ser cínico à si mesmo, é uma saída de emergência.

Amor, fome insaciável do que nunca alcança!
Ódio, digestão mal feita do fracasso de não alcançar!
Alcançar, não existe.Realizar tampouco.
Pois tudo na alma é infinito, único e deixa aflito o coração.

Odeie a aparência do amor quando ela é distante e irreal.
Finja à si mesmo, ser normal todas essas sensações.

(Eber Vasconcelos)

sábado, 19 de junho de 2010

O impossível e o Desejo

Tentou-se certa vez alterar os sentidos.
Dimensionar a luz,
Entender as linhas delicadas que tracejam o sol;
Transformar as melodias sedutoras em letras,
Compô-las em notas da percepção;
Alcançar o abstrato do toque de mãos entrelaçadas,
Revelá-lo em uma união enamorada;
Conter o aroma de mil preferências em um frasco,
Decifrá-lo para os mais aptos perfumistas.

Certa vez,novamente(pois quem sabe em que tempo está?)
Ouviu-se uma voz que parecia uma canção suave,
Era uma voz feminina;
Visionou-se os traços e esses pareciam brilhar,
Era um rosto de menina;
Sentiu-se o perfume que a fórmula não decifrava,
Ela continha-se na mulher que a exalava.

Era noite,havia desespero,
Ela foi exatamente a iluminação pra todo medo;
Haviam zunidos que flagelavam os ouvidos,
E quando pronunciou seu nome,a voz com sua melodia sarava;

Descobre-se o desejo...
Indicou que em suas mãos existia o segredo,
Mostraria-se como namorada.

O mistério era a mulher.
Não ouse dizer o nome,
O motivo do desenvolvimento desse texto
E do autor autentificá-lo com seu nome e sobrenome.

(Eber Vasconcelos)

domingo, 13 de junho de 2010

Idealização


Não sei bem a forma do seu rosto.
Mas a sua percepção é linda.
Apenas, vagamente...
Condensado ao som de sua suave voz.

A energia pulsante do gosto
De sua vinda,
Lentamente depreende a atração.
Reação ao timbre melódico, nos deixa a sós.

Assim como as rosas o podem paralisar
Antes, sequer do aroma.
Você, introspectivamente, surge.

Para nos levar...
Antes, sequer do seu conhecimento.
Miragem, em meio ao meu "deserto" pensamento.

(Eber Vasconcelos)

Confusão


Existem sempre estranhezas
Não compreendidas,
Resistem às naturezas contrárias
E não podem ser repreendidas.

Os amores que tive são estranhos,
Me torturam,pois não existem.
No entanto já existiram ou fingiram existir,
Causaram tonturas em meus sonhos.
Deve ser por que nunca tive porquê ou por quem sonhar.

Até hoje,esses amores sempre foram irreais.
A realidade nunca compreendeu-me.

Todas essas palavras se confundem e me causam dor de cabeça.
Quando interpretá-las,terei a chave dos cadeados de todas
As correntes que me mantêm paralisado.

Anjo Triste - Minha paixão real/ilusória

Textos e abstrações: Minha paixão real/ilusória

Seguir por Email

Pesquisar este blog

Gostou? Leia mais ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...