terça-feira, 29 de março de 2011

Pronome inexistente


Tempos dentro de tempos ,
Aparece sempre e nunca avisa .
Vento dentro de ventos ,
Acaricia por onde passa , não avisa .

Meu nome é teu
Como tua voz é minha .
Sou tão seu ...
Como se nós fosse um pronome inexistente ,
Um soprar de vozes em uma só .


E os ventos sopram  
Minhas mãos em seus lábios, desejo , desejo, desejo ...


E o tempo , o prolongar de desejo .
Teus lábios , meus lábios que de tão seus
Parecem ser de uma única boca .
E são aquelas mesmas palavras , do seu sorriso , do seu olhar ...
E todas aquelas mesmas noites , dias , do meu risco de vida , da minha salvação ,
Minha terra firme e mar  . A batida ( mar revolto ) , os seus seios (terra firme) e o coração(amar ou amor) ...

Um amor que não se cansa de versos ,
Uma mulher , a minha mulher , aquela mulher
Dos meus dias , das minhas noites , dos ódios , dos amores ,
Das cores , dos pódios , das caídas e suas dores ...

Nosso entendimento é feito de si só ,
Não precisamos códigos para nos comunicar .
Nossas incógnitas somos nós ,
E nós somos um só .

(Eber Vasconcelos)

quarta-feira, 23 de março de 2011

Um pouco de ser humano



Vergonha é algo que fere o orgulho , ou é proveniente dele . O que quero dizer é referente às decepções  . Um tempo mal investido , sentimentos enganosos , medos e prisões .
 Se arrependimento é um erro , esse é o erro cometido a todo momento .Feito ou não ,  arrependimento . Poucos podem saber , porém arrepender-se de ser o que se é hoje  é querer ser o que poderia . Aliás o hoje é um resultado errante do ontem  . Prefere-se muito mais ser aquela pessoa de valores do passado com a seriedade de quem almeja algo na vida do que ser essa do presente com uma visão de futuro tão vazia .
 Olhando a trajetória de vida algumas frustrações ainda pesarão por certo . Todos os nãos , as pancadas ensinam a muitos não a ser forte (como deveriam ser) , mas a aceitar as frustrações como parte da natureza . Por isso , talvez o êxito de sucesso possa parecer um tanto quanto estranho .
 O único lugar aonde parecemos ser forte o bastante , capaz o bastante , inteligente o bastante , amante o suficiente ... é na esperança do futuro . Ah... quando se descobre essa perspectiva acontece o estado de graça .É a forma de se ver e sentir orgulhoso do que fazemos para chegar a algum lugar .
 Difícil é quando tudo acaba se tornando habitual , e o hábito tira a surpresa e logo a vontade de desvendamento . Hoje , não pensamos em amor como amor , ódio como ódio , nada com nada . Só temos  a  certeza de que os sentimentos estão em desgaste . E por fim dizemos que todos são vazios e não compreendem nosso valor . Egoísmo , resume a questão .

(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 22 de março de 2011

Coincidências distantes


Em forma de magia parecemos ser o mesmo ,
E estás do lado oposto  do dia como num reflexo em imagem .
A luz do sol permanecendo na lua , numa passagem de inversos .
No tocante de uma proximidade distante , os dois em um só .

Meu silêncio tem como eco a sua voz ,
E minha voz tem como eco o seu silêncio ...
Volto a dizer magia , porém não é das magias fantasiosas . 
Só digo magia , por ser tão impossível a definição .

A sua presença é minha ausência , me esvazio de mim .
A minha presença é sua ausência , se esvazia de si . 
Como se um completasse ao outro mesmo sem se completar .
Quando não estou presente , você , mulher amada surge em pensamento ,
E quando eu estou presente , você desaparece restando somente o meu alegrar de antes ter pensado em ti .

Nosso abraço é um abraço que não se deixa abraçar .
Carinho de corpos distantes que não se deixam acariciar .
Beijos de quem tem paixão , paixão de lábios que não se tocam ,
Mas que têm sede do mesmo amor , do mesmo abrigo .

Corações em batidas contrárias que se amam e que querem 
Se encontrar mesmo no desencontro de coincidências distantes 
Como a da luz do sol a refletir no brilho da lua .

(Eber Vasconcelos) 



domingo, 13 de março de 2011

To make the dream real


I have a dream ...
... and my mind is in the desert .
A desert lonely and infinity .

I make a dream ...
... and my heart is the music of my voices .
The voices telling me what to write .

I love my sonnets ...
They are my dreams .
I stop the moments only using my imagination .

And the moments are  future , past, and present ...
Are tomorow, yesterday and today ...

I wait a passion since my first  sonnets .
I write the passion , today I know this !

(Eber Vasconcelos)

quarta-feira, 9 de março de 2011

Ascendência em prazeres


O laços que nos unem são obscenos ,
Nossos atritar de corpos não são nada amenos , nada amenos...
Delírios são pensamentos , 
Imagens que não se concretizam .
Nós somos perversão em carne e osso,
Em massagens e gemidos que se alisam .

Dizem-nos errados os certos que de 
Suas certezas estão enterrados .
O erro é justamente o momento de 
nosso "acerto"  .
"Acerto" é o "pecaminoso" , são nossas vozes escondidas ,
Sua carne dando vida a minha .

Que mal há em querer nos ?
Justamente na "safadeza" ?
Se justo quando saímos da beleza encantada (um banquete de frutas artificiais) ,
Encontramos-nos em uma mesa farta de carnes passionais ?

E que nossos corpos tremam 
Mesmo que todos temam invejar
Nossa ascendência em prazeres ...
(Eber Vasconcelos)

Eternidade dos mares

 
 Navegante seguindo nortes indecisos dentro de um barco.Em volta água , mares e nenhuma terra firme .  Tempos e tempos ... tudo igual . Ora mar revolto , ora tranquilo . O céu da mesma forma parecendo refletir o mar ao avesso, ora azul , ora tempestuoso . No início seu estômago revirava ânsias de vômitos , tinha dia em que o barco balançava tanto que parecia centrifugar em si mesmo .
 Dizem que é uma grande metáfora os dias de tempestades no mar . Que metáfora ? Se a água gelada paralisa até aos músculos ! E tremendo não conseguimos dar um passo se quer . Fora o medo de todos os dias de não poder enfrentar uma fera cheia de tentáculos , fera gigante !
 A comida é sempre contada , os dias iguais , e nessa rotina o barco segue rumos incontáveis que não levam a lugar nenhum . A roupa é velha de tanto lavar e relavar , mas o que importa ? Ninguém veste trajes elegantes para ficar sozinho em um lugar perdido .
 Essa é uma vida sozinha ... de sonhos e pesadelos . O navegante vive no barco , o sono eterno . As águas são o que determinam a aflição ou calmaria de seu dia . E no céu não há mais nada , a não ser tempestades ou céu azul . Dentro de uma eternidade angustiante .

(Eber Vasconcelos)
  

terça-feira, 1 de março de 2011

O frio


Me apaixona o frio romântico de agora ,
Mesmo eu não podendo te aquecer .
A chuva como se a cada hora
Levasse uma alma em amor sem nenhuma delas merecer .

O amor em alma só não é tão acolhedor quanto o amor em corpo ,
Pois o amor em corpo é essa maciez quente que se tem os namorados .
O amor em alma é quase como um desentendimento .
É um querer explodir , só querer ...
Mas há os que dizem ter os dois tipos de amor (ou se mentem , ou se acreditam ) .

Duvido muito do frio ,
Duvido muito do romance .
A cada hora fria e calada mais martela sua existência em minha vida .
O destino é quem é o carrasco que não nos deixa viver uma vida só .

E meu calor só teria sentido se fosse o seu .
E esse frio lembra o quanto te amo ,
A realidade fria esconde-me de seu calor .

Pairar em sonhos e amor ...
Queria dormir todos as horas do dia pra te ter sempre .
O frio seria somente em meu corpo ,
A alma estaria em calor .

A chuva cai em você com o frio ...
Eu admiro sua beleza triste sem poder a aquecer .
A chuva cai em sua alma , que é como um rio sozinho .
Eu admiro nossa beleza triste sem poder ser suas águas .

Assim o frio passa ...

(Eber Vasconcelos)

Seguir por Email

Pesquisar este blog

Gostou? Leia mais ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...