sábado, 21 de maio de 2011

Afeto


Desde então não durmo cedo por seus olhos, sua seriedade, seu Não.
E eu pouco sei aonde ir senão na lembrança .
Lembrança de desejar você "a mulher" das minhas noites curtas e indiferentes .
Semelhança,semelhança , semelhança ... de repente com meu sonho é seu sorriso .

Te vejo distante, seu sorriso nada tem a ver comigo e gosto de ver ,
Sentir sua alegria , porque o restante em mim é silêncio ...
Um silêncio sem fim, de falta de compreensão .
Nem por força ou imposição, queria transformar o que está errado .

Inconformado fico traçando planos de perder a razão .
Vejo teu jeito de andar , seu jeito de calar e refletir sobre algo
Que me atrai, atrai ...

Atrai tanto quanto repeli ,
Imagine corpo e alma ... pele e pele .
Sua voz eu amo , e traz desconforto .

Morto...
Nunca pensei que fosse me "afetar" tanto .
Se me "afeto" é porque vivo, e o amor é vida ,
Ainda vive,"afeta" e por isso não é morto.

(Eber Vasconcelos)

terça-feira, 17 de maio de 2011

Vai um cafezinho?: Cicatrizes



Uma corrida no tempo, uma mente ingênua, uma vida em disparada somada a estar perdida, estar descalça, desprotegida, desprovida de qualquer cápsula. Na competição: o erro, o errado e o não estar ciente disso. Ao final, a queda do mais fraco, uma ferida e um estrago. Fora difícil fazer o sangue estancar, os dias corriam... E nada. Só inflamara ainda mais. O destino aparecera e estendera as mãos para ajudar... Alívio imediato? Não, mas, aos poucos, uma melhora. Um vez cicatrizada, mas nunca apagada... Continuará sempre ali, marcada, incomodando, chegando, vez ou outra, a doer... Trazendo lágrimas futuras presentes em um passado.

(Vivian Mont'Alverne)







sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011 By: Vivian Mont'Alverne

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Atrás de Mitos





O amor faz perder o ar e o deixa nas alturas.




O amor é não vê a razão,se jogar na loucura.
O amor corre em suas veias e pulsa com as batidas do coração,mostre seu amor.

(Eber Vasconcelos)

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Fórmula e efeito


 Das muitas vezes em que tentamos encontrar fórmulas só encontramos efeitos . De fato hoje não é o dia perfeito para escrever sobre a "química entre duas pessoas",porém deixemos isso de lado. Penso que em matéria de agentes e reagentes nós amantes bem que entendemos muito bem,não nas minúcias das especificações científicas,mas sim como ficamos "altos" com a presença da pessoa amada seja ela qual for .
 Poderia enumerar os hormônios envolvidos nessa "fórmula do amor" . A euforia de ver,sentir,tocar em adrenalina. A felicidade deixando lábios em sorrisos,olhos em brilho especial , seria a dopamina . E no ápice de desejo... uma mistura de sensações/substâncias perfeitas , atribuiria a noradrenalina.A reação química é o resultado de amantes que se alimentam e ao mesmo tempo ficam sedentos .
  Nem queria falar sobre a "química do amor" , nem queria saber que tudo isso vicia e que em muitos é fadado ao costume dos sentidos . Precisa-se sempre de novos estímulos , uma nova disposição de sensações para que a fórmula seja sempre homogênea e os corpos sejam sempre sedentos um pelo outro. Penso que isso seja possível , penso todos os dias "nela" ela vive na euforia,lábios,desejo ... Estudo as fórmulas disso tudo, e sou cobaia dos efeitos!

(Eber Vasconcelos)

domingo, 1 de maio de 2011

Elegia desconhecida


Madrugada muita fria ... que bom dela ser assim ,
Exalta as tristezas
Enroladas em vestes de frio, o arrepio ...

É a bela mulher lânguida ... que bom dela ser assim ,
Ressalta as naturezas
Maltratadas de "nortes" desnorteados , o assovio da tortura ...

Às suas costas as mãos podem ser como vento frio cadenciado ,
Não fere mas provoca .
Às suas costas as mãos podem ser acalento , um rio de movimento demorado ,
Não confere se prender , somente passa e invoca .

Invoca de forma invisível ,
Já nem se sabe se por sono ,
Ou se por sonho .
Convoca de forma incrível ,
Já nem se sabe se por sonho ,
Ou se por loucura .

Mistura-se uma neblina embaçada ,
Que deixa duas imagens quase que como uma só .
Corpo da mulher , noite , solidão ...
Insinua-se a noite como menina alada ,
Que as asas libertam sedução ... morada .

Não sei se é  a noite , a mulher ou o frio .
Sei que todos vivem .

(Eber Vasconcelos)

Seguir por Email

Pesquisar este blog

Gostou? Leia mais ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...